quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Passado, presente, futuro

Li esse trechinho em um texto do Gadotti e queria compartilhar com vocês:

"Ladislau Dowbor (1998), após descrever as facilidades que as novas tecnologias oferecem ao professor, se pergunta: o que eu tenho a ver com tudo isso, se na minha escola não tem nem biblioteca e com o meu salário eu não posso comprar um computador? Ele mesmo responde que será preciso trabalhar em dois tempos: o tempo do passado e o tempo do futuro. Fazer tudo hoje para superar as condições do atraso e, ao mesmo tempo, criar as condições para aproveitar amanhã as possibilidades das novas tecnologias."

Com essa idéia no ar, gostaria de agradecer a cada um de vocês pela participação, pela discussão e por tudo que aprendi nesse período tumultuado!

Fiquei muito feliz por ver que a grande maioria dos alunos gostou do curso, da metodologia e dos recursos utilizados (até do formtato de avaliação! Que bom!:-) e agradeço de coração as críticas: apesar de poucas, foram significativas.

Obrigada! Prometo melhorar para os próximos cursos e espero que continuemos em contato por aqui e por tantos outros canais de comunicação que a gente foi criando no decorrer do curso!

Forte abraço, mantenham contato e o debate aceso,

Kelly

3 comentários:

MADFLY VANESSA disse...

Tudo sempre é aprendizado. Que bom que o semestre acabou e enfim fériasssss se aproximam. E como sempre ficam coisas, registros, informações, relações, e vivencias boas e ruins. Mas tudo é sempre válido se conseguirmos ter a capacidade de retirar das mais diversas experiencias o melhor.

"Aprender? Certamente mas, primeiro, viver e aprender pela vida, na vida"
Autor: Dewey , John


Beijos a todos MADFLY VANESSA

Regina de Deus disse...

Se bem entendi, acho que o Ladislau quis dizer neste texto é que não devemos nos limitar diante das dificuldades, o obstáculo de hoje pode se transformar e realização amanhã.
O fato de não se ter acesso ou não gostar de algo, não pode e não deve ser impecilio para aprender, refletir e deixar que outros reflitam, aprendam e apreendam o novo.

kelly disse...

Também li dessa forma Regina. Gostei porque ele aponta as contradições, as resistÊncias, a complexidade da questão.

Abordar novas culturas e hábitos, nunca é algo simples...