quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Inclusão Digital em São Gonçalo!?

Olá pessoal,

Nossa turma fez uma pesquisa em 10 escolas e uma ONG educativa de São Gonçalo, destas 5 são da rede pública e 5 da rede privada.

As escolas visitadas revelaram que os conteúdos disponibilizados por meio da internet estão sendo apreendidos e trabalhados em sala de aula de modo extremamente aleatório, com pouco ou nenhuma atuação didática consciente por parte da maioria dos professores.

Contrariando o senso comum, não vimos muitas diferenças entre escolas publicas e particulares. Apesar da estrutura variada, em relação ao uso da internet, os resultados são praticamente os mesmos.

Diante deste quadro, o que impede o melhor desenvolvimento da informática educativa?

E quais as implicações disso para esses atores escolares?

7 comentários:

Juliana disse...

O impedimento para mim seria a falta de interessse dos professores em se aprofundar na area da informática educativa,e também por não ter muita desenvoltura com o uso da internet.Com isso os alunos se distanciam desse inclusão digital,e faz com que o uso da internet seje meremente usado para fins não educativo.

kelly disse...

Legal, meninas! Boa pergunta... Acho que a informática educativa provoca uma mudança nas relações dentro do espaço escolar e isso demanda um tempo maior...

O professor muitas vezes não tem á mesma cultura de acesso que seus alunos, da mesma forma, estão muito mais imbuidos da leitura linear, do uso dos livros e têm dificuldade de se apropriar desses novos recursos.

A escola é um espaaço sociocultural, com cultura e tempos próprios. Demanda tempo e disposição dos envolvidos para que mudanças tenham espaço. Uma negociação constante entre velhos e novos hábitos e rotinas.

Como citei no outro post, vivemos no presente uma escola muito ligada ao passado, mas temos que ter em mente que projetos teremos para futuro...

Flávia disse...

São muitos os fatores que impedem;dentre tantos, poderíamos citar que a falta de políticas públicas para uma escola de qualidade, com formação continuada dos profissionais da área, melhor instrumental pedagógico, salários e etc,é sem dúvida o que mais desanima qualquer profissional.

As implicações também são muitas e vão desde a exclusão social de professores e alunos até o distanciamento de um intrumental educativo de grande importância para ambos.

Anônimo disse...

Além dos fatores citados acima, como falta de recursos, políticas públicas e etc., acredito que seja um imenso desafio para os professores ultrapassarem a barreira da idéia de que a informática educativa é algo possível e não apenas uma atividade complementar e/ou de lazer. Nosso pensamento portanto, é bastante arcaico e necessita mudanças como conceber, por exemplo, a informática em sala de aula como mais uma ferramenta facilitadora no processo ensino/aprendizagem e não uma premiação ao aluno que se comporta bem ou tira boas notas nas demais disciplinas. É preciso valorizar os aspectos positivos que a informática traz no ambiente escolar e saber trabalhá-los de forma consciente e reflexiva, ou do contrário ela não terá grande utilidade e apenas dispersará os alunos pelo seu poder cativante.

Sandra disse...

Comentário acima publicado por Sandra Christina.

Denise Siqueira disse...

Acredito que os educadores em geral precisam se despir do preconceito que existe em relação a informática e a internet, esse pode ser derepente o primeiro passo. Claro que aliado a políticas públicas, formação continuada, tudo funcionaria muito melhor... Mas pensar a informática educativa como uma possibilidade de interação do aluno, com o mundo e com a educação, ao invés de um mero passatempo ´já seria um bom começo para que se tenha clareza para brigar pelo restante...

Regina de Deus disse...

É possível uma inclusão digital a partir de uma "não" resistência das escolas e dos professores quanto ao uso da informática para fins educativos.
As implicações do não uso da informática educativa nas escolas são; alunos exluídos digital/escolar e socialmente. Hoje, é impossível pensar em informação sem o uso e a rapidez da internet.
A escola sempre foi um espaço de transmissão da informação, porém Agora, com a internet, existe a troca, a interação, o aluno deixou de ser agente passivo e se transformou em agente ativo que se apropria do conhecimento.
Para uma escola conservadora como a nossa, é mesmo difícil aceitar essas mudanças, mas em algum momento isso terá que acontecer,independente da vontade de muitos!!!