terça-feira, 30 de setembro de 2008

Mundo precisa de 18 milhões de professores

O mundo precisa de 18 milhões de professores qualificados, dos quais quase quatro milhões na África, para alcançar o objetivo de um ensino primário universal, ressaltou nesta terça-feira a Unesco por ocasião da celebração, no domingo, do Dia Internacional dos Professores.

Em seu último relatório anual sobre educação, a Unesco destacou que os esforços realizados nesse sentido haviam aumentado o número de alunos aprovados de 647 milhões em 1999 para 688 milhões em 2005. O aumento foi de 36% na África Subsaariana e de 22% no sul e no oeste da Ásia.

Apesar disso, constatou a persistência de desigualdades profundas em relação ao acesso à educação, entre zonas urbanas e rurais, entre categorias sociais e sexos.

O compromisso de estabelecer um ensino primário universal (EPU) antes de 2015 foi adotado por 164 países durante uma conferência em Dacar em 2000.

2 comentários:

regina de deus disse...

Tomara que a meta de aumentarem o nº de professores no mundo até 2015, seja atingida, espero que com acordo dos 164 países, as desigualdades sociais diminuam consideravelmente.

Kelly Russo disse...

E que esses professores possam contar com um salário justo e condições mais favoráveis de trabalho...